Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delicada como um elefante

28
Jun18

“Antes de eu partir” - Paul Kalanith

Bárbara

A6B50B05-4E18-42D9-BD6F-96F66FAC4073.jpeg

 

Já acabei de ler o livro há uns dias. Já mudei o número de estrelas duas vezes. Estou com alguma dificuldade em ter a certeza do que penso sobre ele. Talvez não o devesse ter lido a seguir ao “Ler mortal” porque o assunto é o mesmo só que em vez de ser a visão do médico e filho do doente oncológico e paliativo, é a visão do médico que é o próprio doente.

O livro está incompleto porque o autor morreu antes de o acabar e foi a mulher que escreveu o epílogo.

A coisa que gostava mais de realçar sobre o autor é que ele também era formado em literatura e tem uma cultura muito rica pelo que escreve muito bem.

Depois é obviamente uma história triste porque é um homem jovem que morre de cancro e em relativo pouco tempo. Deixou mulher e um bebé. Essa foi a parte que me fez confusão porque isso foi uma opção já depois de saber que ia morrer. Eles estavam quase a divorciar-se e e depois de descobrirem a doença ficam juntos e ainda por cima decidem ter um bebé. Mas quem sou eu para julgar?

Ele era interno de neurocirurgia e por isso não tem assim tanta experiência como faz crer sobre morte por cancro. O Atul Gawande é mais velho e cirurgião geral, pelo que se nota outra maturidade. 

Estava à espera de uma reflexão mais profunda sobre o que é ser um homem no auge da vida e ter de enfrentar a proximidade com a sua morte. Acaba por ser só uma descrição dos acontecimentos e a única reflexão que ele faz é de que não sabe o que decidir o que fazer da vida porque não sabe quanto tempo de vida tem. 

É um 3,5*.

25
Jun18

Estante

Bárbara

Ontem estive a reorganizar a estante. 

A minha estante é do Ikea e bastante funda pelo que posso guardar muitos livros atrás. É por isso que quase não vêem livros técnicos na foto. As duas prateleiras de baixo têm fileira dupla.

 

F24402D3-E21B-472D-A2F3-5E3A3BC080E6.jpeg

 

Antes tinha os livros por ler à parte para chegar à estante e pegar para ler. No entanto, fui verificando que não era útil pois faço as escolhas sempre no Goodreads que mantenho actualizado.

Agora organizei só por género.

As séries com muitos livros estão arrumados na vertical para rentabilizar o espaço.

A enfeitar a estante tenho muitos Pop’s entre outras coisinhas.

24
Jun18

Leituras em curso

Bárbara

Hoje coloquei nas Instastories os livros que tenho leitura em curso este fim-de-semana.

AFCA47C1-6867-4F17-A127-CF9EEB47BCBD.png

 

1 - Audiobook: “The two towers” da série “Lord of the ring” do J. R. R. Tolkien. Estou a 96%. Prevejo 3*, estou a gostar muito menos que o primeiro.

 

2 - Ebook: “Antes de eu partir” de Paul Kalanithi. Estou a 52%. Prevejo 4* mas estou a gostar menos do que pensava.

 

3 - Histórias para adormecer a bebé: “As cientistas” de Rachel Ignotofsky. Estou a 49%. Prevejo 4*. Só não gosto do tamanho da letra.

 

4 - Clube dos clássicos vivos: “Frankenstein” de Mary Shelley. Estou a 27%. Prevejo 3* porque acho uma leitura difícil. A verdade é que terror não é o meu género, e em clássico ainda é mais difícil.

 

5 - Série: “A cidade dos ossos” da série “The mortal Instruments” de Cassandra Clare. Estou a 79%. Prevejo 2*. É um livro muito adolescente e está a ser uma desilusão comparado com a trilogia “The infernal devices”.

 

23
Jun18

Leio 3 e compro 1 #3

Bárbara

25D9A108-CADE-418C-88DA-69341EAF474F.jpeg

 

Desde o post anterior, li:

1 - "Histórias de adormecer para raparigas rebeldes 2" de Elena Favilli - 0 € porque foi uma prenda para a bebé. Opinião aqui 4*

2 - "Ser mortal” de Atul Gawande - ebook comprado na Wook por 11,99 €. Opinião aqui 5*

3 - “Caderno de memórias coloniais" de Isabela Figueiredo - ebook só 4 € pois 50% do valor foi pago com o vale na promoção do dia da mulher da Wook. Opinião aqui 4*

 


Comprei:
- “O Silmarillion”
 de J. R. R. Tolkien -  só 11,56 € pois 50% do valor foi pago com o vale na promoção do dia da mulher da Wook.

22
Jun18

Wrap up da ML122dias e não-TBR da MLPalavrasdeVerão

Bárbara

C7F582E1-C855-4978-8F5E-B28FD3887E89.jpeg

 

maratona literária dos 122 dias foi organizada pela Roberta do blog e canal "Flames" e pela Cristina do blog e canal "Linked books" e decorreu de 10 de Fevereiro a 10 de Junho com desafios relacionados com as datas comemorativas deste período.

A minha prestação nesta maratona foi vergonhosa com apenas 8 desafios concluídos e 1948 páginas lidas. Não acompanhei o grupo do Facebook como de costume e nem fiz os desafios extra. Já toda a gente sabe que nos primeiros meses da bebé andei demasiado desorientada. 


Cá vai a Wrap Up:

4 – Dia Europeu da Vítima de Crime – Ler um Policial.: “O mistério do comboio azul” de Agatha Christie - 3* - 258 pgs

6 – Dia Internacional da Mulher – Ler um livro escrito por uma mulher.: “Cidade dos ossos” de Cassandra Clare - 25 pgs

7 – Dia Branco – Ler um livro de capa maioritariamente branca.: “10 dias para ensinar o seu filho a dormir” de Filipa Fernandes - 5* - 168 pgs

8 – Dia do Pai – Ler um livro escrito por um autor masculino: “Dormir tranquilo” de Mário Cordeiro - 4* - 216 pgs

9 – Dia Internacional do Livro Infantil/Dia Mundial da Criança – Ler um livro infantil, ou uma banda desenhada, ou mangá, ou edição ilustrada ou graphic novel: “Histórias de adormecer para raparigas rebeldes” de Elena Favilli - 4* - 191 pgs

12 – Dia do Livro Português/Dia do Autor Português – Ler um livro de um autor/autora português: “O grande livro do bebé” de Mário Cordeiro - 4* - 212 pgs

14 – Dia das Mentiras – Ler um livro de Ficção Científica: “Frankenstein” de Mary Shelley - 32 pgs

16 – Dia do Trabalhador – Ler um livro cujo protagonista tenha uma profissão que admires ou que gostaria de ter: “Ser mortal” de Atul Gawande - 5* - 204 pgs

18 – Dia da Europa – Ler um livro escrito por um autor europeu: “Histórias de adormecer para raparigas rebeldes 2” de Elena Favilli - 4* - 174 pgs

19 – Dia do Duende – Ler um livro de Fantasia: “Irmandade do Anel” de J. R. R. Tolkien - 5* - 468 pgs

 

D49C5ED0-5C3D-4A40-B1AB-1A74663E05FA.jpeg

 

Começa hoje a “Maratona Literária Palavras de Verão” mas não vou fazer TBR porque sei que não a vou conseguir cumprir. Vou lendo e vou vendo que livro encaixa em cada categoria. Podem encontrar todas as informações aqui e juntarem-se ao grupo. 

 

21
Jun18

Book bingo “Leituras ao Sol” 2

Bárbara

Começa hoje o Book bingo “Leituras ao Sol 2”.

A Isa do blog e canal “Jardim de mil histórias” e a Tita do blog e canal “O prazer das coisas” organizam mais uma vez, este verão, este desafio. Podem encontrar juntar-se no grupo do Goodreads.

Ano passado participei e completei o cartão. Este ano também vou tentar fazê-lo, com uma TBR de livros pequenos e fáceis. Como é meu hábito, provavelmente vou mudando os planos.

 

87CBF514-C86E-44A7-B7E5-72DEBE5ACE2D.jpeg

 

1- Um livro que tenha sido lançado no ano em que nasceste

Não tenho nenhum nas estantes lançado em 1984. Entretanto o meu marido lembrou-se que havia vários da coleção "Uma aventura" e escolheu o que mais gostou de ler que foi "Uma aventura na escola" de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada.

 

2 - Um livro cujo o título tenha as letras que componham a palavra MAR

Como estou a participar no projeto "365 dias com Poirot e Marple" do blog "The daily miacis", vou ler "O enigma das cartas anónimas" da série Miss Marple de Agatha Christie.

 

3 - Um livro de um autor português. 

Tenho um minúsculo que dá mesmo jeito. Vou ler "Carta a El-Rei D. Manuel" de Pêro vaz de Caminha.

 

4 - Um livro de um autor que tenha as tuas iniciais

Não tinha nenhum nas estantes com a ordem certa mas entre BSDCL encontrei o C. S. Lewis com "As crónicas de Nárnia". Vou ler "O príncipe Caspian".

 

5 - Um livro escrito por uma mulher

Vou ler "Anúncio de um crime" da série Miss Marple de Agatha Christie.

 

6 - Um livro "silly”

Não estou a ver nenhum além de "Louca" de Chloé Esposito.

 

7 - Um livro com apenas uma palavra no título

Ando a ler, atrasada, o "Frankenstein" de Mary Shelley para o grupo "Os clássicos vivos".

 

8 - Um livro que leste quando eras jovem e gostaste muito

Há pouco tempo, o Hugo do canal "Aprendiz de leitor" fez-me lembrar que adorei "A fada Oriana" de Sophia de Mello Breyner Andresen.

 

9 - Um livro que se passe no Verão

Antes de ler o livro é bastante difícil de saber em que estação se passa a acção, por isso vou acabar o “A cidade dos ossos” da Cassandra Clare.

 

10 - Um livro com um número no título

O livro actual do "Clube dos clássicos vivos é "A volta ao mundo em 80 dias" de Jules Verne.

 

11 - Um livro de não-ficção

Tanto pela minha profissão como por acontecimentos familiares, tenho andado muito interessada em livros de não-ficção médicos. Vou ler "Antes de eu partir" de Paul Kalanithi.

 

12 - Um livro que compraste pela capa

Vi "As cientistas" de Rachel Ignotofsky numa montra e comprei sem saber bem o conteúdo de tão bonito que a achei.

 

13 - Um livro de um prémio literário estrangeiro

Agatha Christie foi galardoada em 2000 com Anthony Award for Best Series Of The Century para a série Poirot. Vou ler o "Crime na Mesopotamia".
 
 

14 - Um livro escrito por uma celebridade

Nem de propósito, quero muito ler "O ano do sim" escrito pela roteirista e produtora Shonda Rhimes.

 

15 - Um livro que tenha sido publicado há mais de 10 anos

Tenho de acabar a trilogia "Senhor dos Anéis de J. R. R. Tolkien com "Return of the king" para o grupo de leitura partilhada.

 

16 - Um livro de um prémio literário português

Não tenho nenhum em casa. Vi muitas TBR com "Para onde vão os guarda-chuvas" de Afonso Cruz. Pode ser que leia esse.

20
Jun18

Mid-year book freakout tag

Bárbara

A Claudia do blog e canal “A mulher que ama livros” marcou-me para responder a esta Tag. O meu muito obrigada por te lembrares de mim. Ano passado respondi aqui. Este ano li muito menos mas aqui vai:

 

1. O melhor livro que você leu até agora, em 2018. 

Ser mortal” de Atul Gawande. A minha mente ainda não saiu desse livro nem vai sair tão cedo. Aliás, não quero que saia nunca mais porque espero ter aprendido tudinho o que está lá escrito.

 

2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2018.

“Harry Potter e os talismãs da morte” de J. K. Rowling. Harry Potter é a minha série preferida.

 

3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito ler.

“Stories for boys who dare tone different” de Ben Brook. À semelhança de “Histórias adormecer para raparigas rebeldes”, saiu este livro que mostra que rapazes não convencionais podem ter lugar no mundo.
 

4. O livro mais aguardado do segundo semestre.

“The lady’s guide petticoats and piracy” de Mackenzi Lee. Adorei o primeiro “The gentlemen’s guide to vice and virtude” e estou morta por ler este. A Felicity é uma personagem maravilhosa.

 

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.

“A cidade dos ossos” de Cassandra Clare. Ando a arrastá-lo há imenso tempo e não tenho vontade nenhuma de o acabar ou seguir com a série. É uma série tão aclamada e eu adorei a trilogia “The infernal devices” da autora, mas este é demasiado para adolescentes americanos.

 

6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.

Caderno de memórias coloniais” de Isabela Figueiredo. Não tinha grandes expectativas antes de o ler e quando comecei até pensei em desistir mas acabei por gostar muito. Os factos históricos também me surpreenderam muito. Sou uma ingénua...

 

7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).

Atul Gawande. Depois de ler o “Ser mortal” só me apetece ler todos os livros dele. Escreve muito bem e seleciona muito bem a informação que usa. Ele é cirurgião geral como eu e por isso identifico-me. Claro que ele é só um bocadinho mais experiente e conhecedor dado que é professor em Harvard e investigador.

 

8. A sua quedinha por personagem fictícia mais recente.

Não tenho nem nunca tive. Eu não consigo imaginar personagens fictícias como pessoas reais.

 

9. Sua personagem favorita mais recente.

Acho o Aragorn do “Senhor dos anéis” muito interessante. Não tem sede de poder apesar  da sua herança, é um bom homem.

 

10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.

Eu sou uma sentimentalona mas nunca chorei com um livro. Acho que o meu cérebro só é sensível a imagens.

 

11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.

10 dias para ensinar o seu filho a dormir” de Filipa Fernandes. Com este livro vi a luz ao fim do túnel. Ao lê-lo percebi logo que o método podia resultar. Ao pôr em prática fiquei mesmo feliz porque a bebé já dorme mais tranquilamente e mais algum tempo seguido. A minha vida melhorou indescritivelmente.

 

12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2018.

Acho que não vi filme nenhum este ano que seja uma adaptação mas li “A irmandade do anel”, cuja adaptação de Peter Jackson é muito bem feita.

 

13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).

 Eu adoro o booktube mas resenhas não são os vídeos que gosto de ver. Prefiro ver no final do ano os livros favoritos das pessoas para saber quais valem realmente a pena. De qualquer forma, há gente que consegue dar-me vontade de ler até géneros que não gosto nomeadamente a Claudia que me marcou o Hugo do canal “Aprendiz de leitor” e a Filipa do canal “filipab0oks”.

 

14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.

“As cientistas” de Rachel Ignotofsky. Vi na montra e tive de comprar mesmo sem saber se valia alguma coisa.

 

15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?

Eu queria muito ler os livros da Jane Austen e das irmãs Bronte mas não sei se vou conseguir a disponibilidade necessária para os apreciar em condições.
 
 
Gostava que respondessem:
- Sofia do blog “The Daily Miacis” 
- Ana do canal “The Phoenix Flight”
- Isa do blog e canal “Jardim de mil histórias”
- Filipa do canal “filipab0oks”
19
Jun18

Caderno de memórias coloniais - Isabela Figueiredo

Bárbara

Ouvi muitas recomendações desta autora por causa do livro “A gorda”. O livro não me interessou mas a autora suscitou-me curiosidade. Decidi então ler este livro porque tenho alguma curiosidade sobre o colonialismo.

 

AC1A0D6E-A1C7-4B52-B3A8-2D20DFE3A1F0.jpeg

 

Sinopse:

«O "Caderno de Memórias Coloniais" relata a história de uma menina a caminho da adolescência, que viveu essa fase da vida no período tumultuoso do final do Império colonial português. O cenário é a cidade de Lourenço Marques, hoje Maputo, espaço no qual se movem as duas personagens em luta: pai e filha.»
Isabela Figueiredo, in «Palavras prévias»  

«Nenhum livro restitui, melhor do que este, a verdade nua e brutal do colonialismo português em Moçambique. Até porque, como a autora refere, ele aparece envolvido pelo mito da sua mansuetude – sobretudo quando comparado, como era sempre, com o apartheid sul-africano. Mito tão interiorizado pelos próprios colonos que através dele, como por uma lente, percepcionavam a realidade de que constituíam um elemento decisivo – como considerar-se a si mesmos violentos e prepotentes no tratamento que davam aos negros? A verdade escondia-se sob a boa consciência necessária à regularidade quotidiana da vida «paradisíaca» dos brancos. Para a desenterrar era preciso ir procura-la nas sensações infinitamente vibráteis e virgens de uma menina, filha de colonos, que vivia à flor da pele o sentido mais profundo de tudo o que acontecia.»  
José Gil, in «Sobre Caderno de Memórias Coloniais»

 

No início do livro pensei em desistir porque era só palavrões. Incomoda-me que os autores portugueses praticamente só tenham duas posturas, ou usam linguagem ordinária ou eloquentíssima. Depois comecei a perceber a premissa do livro nomeadamente a crítica subjacente e a descoberta da sexualidade. Por último fiquei presa ao livro e gostei muito.

Fiquei muito chocada de descobrir que os portugueses afinal não foram asssim tão bons colonos e que em pleno século XX ainda escravizavam os negros. Como reação, os negros foram violentíssimos na altura da independência.

Começo a aperceber-me que gosto muito do género de não-ficção.

18
Jun18

Séries - The Crown

Bárbara

F2360E89-7DD5-4C44-952B-2B8900A092D5.jpeg

 

Gosto muito de séries históricas, embora fique sempre com dúvida do que é real e do que  é romantizado.

Sobre esta, gosto de acreditar que é real uma vez que a rainha Isabel II ainda está viva.

Acabámos de ver a segunda temporada.

 

Na primeira temporada já fiquei a gostar da rainha mas nesta fiquei com pena dela e do príncipe Carlos. O Príncipe com sorte é um idiota, marcado pelo seu passado, mas idiota. A rainha é uma mulher comum, que tem de se sujeitar aos protocolos e não será ela a culpada das decisões reprováveis. Dentro do pouco poder que tem e da pouca cultura e até esperteza, vai conseguindo fazer algumas coisas positivas.

Sobre a série em si, adoro os atores, o guarda-roupa e os cenários. Quando a rainha se refugia na Escócia fico cheia de saudades. Também me parece que os episódios dividem bem a história, não a tornando massuda, nem parca de pormenores. 

Ficamos à espera da nova temporada, com mudança dos actores.

 

14
Jun18

Histórias de adormecer para raparigas rebeldes

Bárbara

Eu e a bebé acabámos os dois volumes.

 

C19B3368-29C0-4EA9-B6E4-4A742F005D49.jpeg

 

Quero que ela saiba desde sempre que pode fazer tudo. Que os rapazes não são mais capazes.

Estes livros contam 200 histórias de mulheres pioneiras, embora eu não escolhesse algumas delas. Cada uma tem direito à sua citação e ilustração. São livros muito bonitos.

A história é pequena e escrita com uma linguagem acessível aos mais pequenos mas nem sempre a escolha dos pormenores é a que eu faria.

Tem alguns erros gramaticais... Não percebo as editoras portuguesas...

Em conclusão, acho que são uma óptima ideia e estão bem conseguidos mas não são perfeitos.

 

Pág. 1/3

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D