Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Delicada como um elefante

20
Set18

TAG | Estante de Livros

Bárbara

1. Quantas estantes de livros tens?

1 mas é grande e funda. Os livros técnicos estão atrás dos livros de literatura. Quero comprar uma pequena para pôs os livros infantis no quarto da bebé. Tenho ainda os de culinária num armário da cozinha.

 

5843F211-DB7B-46DA-81A5-CF2E71FCF730.jpeg

 

 

2. Quantos livros tens nas estantes? Ou quantos livros pensas que tens?

486. Sim, fui contar...

 

3. Como organizas os teus livros?

Por género, quando possível.

 

4. Qual é o livro mais antigo na tua estante?

O livro mais antigo é "Uma aventura nas férias de Natal", apenas 2 anos antes de nós nascermos. Não tenho livros herdados e não gosto de comprar ou trocar livros antigos porque me dão sensação de falta de ar.

 

5. Qual é o livro mais novo na tua estante?

"O Poder" de Naomi Alderman que comprei para o Net Book Club e estou a ler neste momento.

 

6. Qual é o livro mais longo na tua estante?

O Harrison. Para quem não é médico, este é o tratado de medicina interna usado para o exame de acesso à especialidade. Durante a especialidade, li tratados de cirurgia maiores com quase 3000 pgs mas só os tenho em versão digital que comprá-los é na ordem dos 200-300€ cada.

 

7. Qual é o livro mais curto na tua estante?

Os de banda desenhada do Astérix.

 

8. Qual é o género literário predominante na tua estante?

Infanto-juvenil. Na idade certa li muitos e o Luís também. Entretanto continuo a gostar, pelo que continuam a entrar cá em casa mesmo enquanto adulta.

 

9. Já fizeste uma tour das estantes?

Já sim. Está nos destaques das minhas Instastories.

 

10. Vai ao random.org e fala do livro na tua estante que corresponde a esse número.

 Saiu o nº 84 que corresponde ao "Memórias da II guerra mundial" de Winston Churchill.

 

11. Que decorações tens na tua estante?

Várias, mas predominante Pops.

 

12. Mostra-nos as tuas estantes.

0B999B03-0057-4B99-98D0-1D7FCB8C9A1D.jpeg

 

19
Set18

Babies can sleep anywhere

Bárbara

As ilustrações deste livro são lindas.

 

1E9553B8-E15D-4DC4-B453-35373B4F83C3.jpeg

 

Tem frases curtas, sendo perfeito para ler na hora de dormir.

Vai mostrando como as crias de cada mamífero dormem. Não concordo propriamente com o conceito de que os bebés podem dormir em qualquer lado mas entendo que gostassem que assim fosse.

Sendo um livro para crianças acho que não devia ter sobrecapa, de resto é perfeito.

17
Set18

Fall in Stories - TBR

Bárbara

A Daniela do blog "The Little Angie" e a Sara do blog "sarangmybooks" estão a organizar a maratona "Fall in Stories" que decorre de 23 de Setembro a 21 de Dezembro. Podem aderir ao grupo aqui.

 

41499527_1830418460327896_8204341228553109504_n.jp

 

Aqui vai a minha TBR:

 

Livros:

- Um livro que se passe no Outono - “O principe Caspian” da série “Crónicas de Nárnia “ de C. S. Lewis

- Um livro que na tua opinião vais ficar caidinho por ele - "The Poppy War" de R. F. Kuang 

- Escolhe um livro da tua estante com os olhos fechados e lê 

- Um livro que decorra no teu país/cidade de sonho - "Pão de Açúcar" de Afonso Reis Cabral. Portugal é mesmo o meu país de sonho.

- Reler um livro que traga boas memórias - “O diário secreto de Adrian Mole aos 13 anos e 3/4” de Sue Townsend

- Um livro com uma capa em tons castanhos/cremes/vermelhos - “Jane Eyre” de Charlotte Brontë

- Um livro com animais na capa ou na história - "The Poppy War" de R. F. Kuang 

- Um livro que se possa ler num só dia - "O Escudo de Arverne" da série Astérix de René Goscinny. Querem coisa mais rápida de ler que banda desenhada?

- Um livro de fantasmas - “Jane Eyre” de Charlotte Brontë

- Um livro baseado numa história verídica - "Pão de Açúcar" de Afonso Reis Cabral

- Ler um mangá, comic, banda desenhada ou graphic novel - "O Escudo de Arverne" da série Astérix 

- Um livro com personagens que gostarias de conhecer pessoalmente - "The Poppy War" de R. F. Kuang 

- Um livro que aches que tenha cenas arrepiantes/dolorosas/nojentas - "Pão de Açúcar" de Afonso Reis Cabral

- Um livro infantil - “O principe Caspian” da série “Crónicas de Nárnia “ de C. S. Lewis

- Um livro que decorra durante o Halloween ou de terror

- Reler um livro que tenhas lido durante o teu percurso escolar - “O diário secreto de Adrian Mole aos 13 anos e 3/4” de Sue Townsen

- Pede a alguém para escolher um livro para ti e lê - "Pão de Açúcar" de Afonso Reis Cabral. Este não foi o livro em que votei para o “Net book club”, por isso alguém o escolheu para eu ler.

- Um livro com uma capa em tons escuros - "O jogador" de Fyodor Dostoyevsky

- Lê o livro mais antigo da tua tbr - "O jogador" de Fyodor Dostoyevsky. Tenho livros mais antigos por ler mas oferecidos e que não tenho interesse em ler. Este foi o que eu comprei há mais tempo com intenção de ler.

- Um livro que decorra numa escola/colégio/universidade - "The Poppy War" de R. F. Kuang 

- Lê um livro com chuva na capa ou que transmita sensação de frio - “O principe Caspian” da série “Crónicas de Nárnia “ de C. S. Lewis

 

B2849D06-E102-474B-813B-A8DC3A36D6AD.jpeg

 

Esta maratona também tem desafios extra:

- Vê um filme típico de Halloween
- Lê sentada num jardim
- Faz um ato de caridade
- Faz pipocas para uma sessão de cinema
- Beijar na chuva (animais também contam!)
- Salta numa poça de água ou num monte de folhas secas
- Apanha uma folha seca e guarda-a
- Aprende a tricotar - já sei
- Convida alguém para uns jogos de tabuleiro
- Faz um spa day
- Dá um passeio pela tua cidade e tira uma foto
- Cria uma lista de objetivos para o outono
- Passa 1 dia sem tecnologia ou sem redes sociais
- Vê o nascer do sol ou o pôr do sol
- Escreve uma carta (não precisas de enviar, mas seria engraçado)
- Cozinha a tua refeição preferida
- Começa a escrever um diário - não vai acontecer porque não tenho paciência
- Acende uma vela enquanto lês
- Organiza a tua estante - já está organizada
- Vê o teu filme preferido (não importa que seja a milionésima vez)
- Vamos voltar à infância: salta na tua cama
- Escreve uma lista com 10 coisas pelas quais estás grato
- Faz algo que tens imenso receio de fazer
- Cria uma playlist de outono
- Vê um temporada inteira num dia de uma série ou anime - num dia só não tenho disponibilidade
- Vê um filme de animação

08
Set18

TAG | Get To Know Me

Bárbara

Disciplina favorita no secundário?

Matemática

 

Consegues tocar com a língua no nariz?

Não

 

Rede social favorita?

Instagram

 

O melhor da tua vida neste momento?

O amor que me rodeia. Não tenho a família mais funcional do mundo mas gostam todos muito de mim.

 

Cantas no chuveiro?

Sim

 

Tens tatuagens?

Sim. Uma pata de cão no punho que só fiz com 31 anos. Gostava de fazer outras mas cicatrizo mal e a tinta fica esborratada.

 

DC9F51A6-1BDC-4883-A111-6CFC81D8ED15.jpeg

 

Quantos países já visitaste?

10

 

Tens alguma alergia?

Marisco mas como na mesma depois de tomar um anti-histamínico. Não recomendo...

 

O que te assusta ao envelhecer?

A solidão

 

Gostavas de viver fora?

Não. Já vivi em Itália um semestre da faculdade e gostei muito mas também aprendi a dar valor ao meu país.

 

Quantos dias aguentarias em solitária?

Nenhum

 

Sabor preferido de chá?

Não gosto de chä. De infusões gosto e a minha preferida é de frutos vermelhos.

 

O que está debaixo da tua cama?

Pelo. Por mais que se aspire, o chão desta casa tem sempre um manto de pelo.

 

Algo que gostavas de ser dotado a fazer?

Capacidade de treino. Seja desporto, instrumento musical, ou outra coisa que exija treino, sempre fui preguiçosa.

 

Qual a primeira app que abres quando acordas?

Bebé+. O meu despertador é sempre a bebé Maria e nunca sei de que mama ela mamou da última vez. Nessa app tenho apontado.

 

Tens medo de alturas?

Sim. Subo sempre mas depois entro em pânico para descer.

 

És boa cozinheira?

Para doces sim, para comida mesmo nem por isso.

 

Qual a tua forma favorita de passar o tempo?

Sem fazer nada.

 

Tipo favorito de roupa?

T-shirt, calças de ganga e sapatilhas.

 

Cor favorita?

Amarelo.

 

Atriz favorita?

Jennifer Lawrence.

 

Os teus avós ainda estão casados?

O meu avó materno morreu deixando a minha avó viúva. Os meus avós paternos também já morreram e eram divorciados.

 

TV Show favorito?

Grey’s Anatomy e Prison Break.

 

Tipo de música favorita?

Jazz e Rock

 

Se pudesses fazer voluntariado o que farias?

Em Portugal, trabalharia com cães. Fora, gostava de operar desfavorecidos.

 

Que problemas achas mais problemáticos?

A humanidade e o seu descuido para com o planeta.

 

De 1 a 10 como avalias a tua condução?

6. Não tenho o maior jeito do mundo mas já tenho alguma experiência.

 

Cardio ou pesos?

Desportos coletivos.

 

Se tivesses 1 ano de vida o que farias?

Viajava 

 

Se pudesses dar um conselho ao teu “eu mais novo” qual seria?

Podia dar muitos mas não ia resultar. É preciso passar pelas experiências.

 

Se pudesses salvar apenas um qual seria - Humanidade ou Planeta Terra?

Planeta. A Humanidade é o problema do planeta.

 

Pepsi ou Coca-Cola?

Nenhuma.

 

Preferias ser um génio ou rico?

Rico. Os génios habitualmente são isolados e infelizes.

 

Skydive ou Bungee Jumping?

Nenhum. Não gosto de desportos radicais, não tenho qualquer necessidade de adrenalina, chega-me a vida e a minha profissão.

 

És uma pessoa de manhãs ou noites?

Tenho dificuldade em acordar mas também tenho sono cedo.

06
Set18

“O ano do sim” de Shonda Rhimes

Bárbara

A Ana do canal “The Phoenix Flight" recomendou este livro e eu li-o.

Adoro as séries da Shonda Rhimes nomeadamente a "Grey's anatomy".

Gosto muito de livros de não-ficção mas odeio de auto-ajuda. Não acho que este livro seja de auto-ajuda, acho mais que é bibliográfico.

Ela sabe escrever, não é só uma celebridade, ela escreve séries.

Tem uma personalidade estranha. Tem um sucesso enorme mas reconhece as falhas. É modesta mas não de uma forma falsa.

 

049F0F42-8BF7-4356-A19B-876FE9EE3582.jpeg

 

Identifiquei-me bastante e adorei, mas não consigo fazer revisão dele. Por isso, vou deixar-vos as minhas frases preferidas e comentá-las:

 

"Shonda, como fazes tudo isso?

A resposta é esta: não faço.

Sempre que me vêem algures a ter sucesso numa área da minha vida, isso quase seguramente significa que estou a falhar noutra área da minha vida."

Eu odeio aquela ideia da super-mulher. Que temos de fazer das tripas coração para fazer mil e uma coisas de forma perfeita.Temos direito a falhar!

 

 

"Não sei como se passa convosco, mas os erros e os lapsos que cometi desde que sou mãe... Antes de ser mãe nada conseguia beliscar a minha confiança. Agora é estilhaçada todos os dias. Não sei o que estou a fazer. Não há manual. Não há lista de verificações. Não há ninguém para dar aulas. Estes pequenos seres humanos apanharam-me, prenderam.me atrás das linhas enimigas. Alistei-me voluntariamente, mas será que o fiz pelas razões certas?"

Agora que sou mãe, compreendo isto tão bem. Odeio a frase "quem corre por gosto, não cansa". Ser mãe é a coisa mais difícil do mundo e a sociedade não nos permite falhar nem sequer queixar.

 

"Acho que é ofensivo com a maternidade dizer que ser mãe é um trabalho.

Ser mãe não é um trabalho.

É o que a pessoa é.

Podemos deixar um trabalho. Não podemos deixar de ser mãe. As mães nunca estão de folga, nunca tiram férias. Ser mãe redefino-nos, reinventa-nos, destrói-nos e recosntrói-nos. Ser mãe exige que nos organizemos, sob pena de estragarmos a vida de outra pessoa para sempre."

Nunca concordei tanto com uma frase. Ser mãe não é um trabalho. Ser mãe obriga-nos a estar 24h por dia alerta. Do trabalho sai-se porta fora, mesmo dum absorvente como o meu que acabo por trazer muitos doentes para casa, em pensamento. E mesmo enquanto se está a trabalhar, há coisas que não exigem 100% de atenção.

 

 

"Há trinta anos, acho que devia haver mil secretárias resistindo aos chefes lá no escritório e cerca de duas mulheres de Hollyhood nesta sala. E se eu estivesse aqui, seria a servir o pequeno-almoço a essas mulheres.

Há cinquenta anos, se as mulheres quisessem reunir-se nesta sala... bem, era bom que fosse para discutir bebés ou trabalho de beneficência. As mulheres negras estariam numa sala além e as mulheres brancas estariam noutra aqui...

De então para cá... todas nós demos um salto tão incrível!"

Este livro enaltece a egualdade de género e de raça. Ela é uma mulher negra cheia de sucesso e que usou o seu poder para influeciar a América e o mundo. As personagens dela mais importantes são mulheres, negras ou não. Ela consegue mostrar como as mulheres podem ter sucesso em profissões habitualmente dominadas por homens. Sem as pessoas notarem, ela conseguiu mudar mentalidades.

Ainda assim é modesta:

"Quantas mulheres tiveram de colidir contra aquele vidro antes de a primeira fenda aparecer?"

 

 

"Sorte implica que não fiz nada. Sorte implica que algo é dado. Sorte implica que me foi dado algo que não conquistei, por o qual não trabalhei arduamente."

Ela não nasceu uma desgraçadinha, mas isso não lhe tira o mérito. Eu identifico-me muito com isto. Eu podia ter-me acomodado a muitas situações na minha vida e neste momento não teria esta vida. Ter-me-ia acomodado a escolhas muito mais fáceis. Não foi sorte, foi esforço. Não estou a falar só de estudo.

 

 

Sinopse:

"Neste grito de guerra profundamente íntimo, hilariante e comovente, uma das mulheres mais poderosas de Hollywood, a mega talentosa criadora de Anatomia de Grey e Scandal e produtora executiva de Como Defender Um Assassino revela como dizer SIM mudou a sua vida e como também pode mudar a sua. 
Esta comovente, íntima e hilariante autobiografia explora a vida de Shonda antes do seu Ano do Sim -da sua infância algonerd, preenchida com livros e amigos imaginários, até à sua dedicação à criação de personagens televisivas que refletiam o mundo que via à sua volta. E relata a sua vida depois do iníciodo seu Ano do Sim -quando Shonda se obrigou a sair de casa e a subir ao palco; quando aprende a dizer sim à sua saúde e saiu das sombras para o sol; quando aprendeu a explorar, fortalecer, aplaudir e amar o seu eu mais verdadeiro."

03
Set18

“Pequenos fogos em todo o ” de Celeste Ng

Bárbara

Este foi o primeiro livro do “Net book club”, o clube de leitura no Instagram criado pela Cláudia do blog e canal “A mulher que ama livros”.

 

A96C3CF2-8DF2-4434-BE0F-BCE2564E2492.jpeg

 

Quase toda a gente adorou este livro e para mim é só um 3,5*, o que não significa que não tenha gostado só não fiquei foi extasiada.

Eu fui adolescente nos anos 90 e até me identifico com algumas coisas do livro mas não com a cultura americana. Eu desprezo os falsos moralismos e as assimetrias sociais. As temáticas tão admiradas nesta obra só são fruto disso e de não haver estado social. 

O livro trata uma variedade enorme de temas, na minha opinião em demasia. Parecia que estava dentro do meu próprio cérebro que está sempre a mil, sempre a saltar de um para outro arco da história. Atenção que está bem escrito de forma a tudo fazer sentido e não nos perdermos. Os vários arcos vão-se abrindo e fechando ao longo do livro e não só no início e final, respectivamente. Ao contrário de outras opiniões que ouvi que tudo fica resolvido, acho que há algumas coisas que podiam ter sido mais desenvolvidas. Acho que vai dar uma ótima série porque a história tem pano para mangas. 

As personagens estão muito bem construídas, mas sem necessidade de grandes descrições. Ninguém é só bom ou só mau, são pessoas reais. Para mim, este foi o ponto mais positivo do livro.

31
Ago18

“Contos exemplares” de Sophia de Mello Breyner Andresen

Bárbara

3FC7CF1F-234B-4022-9890-4DE6AFF74863.jpeg

 

Este livro foi o escolhido para o clube dos clássicos vivos para Julho e Agosto.

Não costumo ler contos, aliás, não gosto porque não dá tempo para desenvolver a história e as personagens. 

Já disse 200 vezes isto mas, habitualmente, não gosto de clássicos. Eu forço para me cultivar, mas o estilo de escrita não contemporânea não é para mim e acabo a fazer um sacrifício e a arrastar os livros. Este é relativamente recente pelo que não foi assim tão difícil.

Literatura portuguesa também não é para mim porque a acho pretensiosa. Parece que os escritores vão ao dicionário procurar palavras e as debitam. Exemplo disso, é o prefácio “Pórtico” deste livro que simplesmente desisti de ler.

Em criança, adorei os contos infantis da autora e tinha curiosidade de ler algo para adultos. Como o nome do livro indica, estes contos retratam situações exemplares da vida humana.

Dito isto, aconteceu o esperado. Não gostei dos contos mais pequenos mas achei piada aos mais longos nomeadamente o primeiro “O jantar do bispo” e “Os três reis do oriente”. Já nem me lembro da história dos outros cinco. 

O primeiro conto fala do bem e do mal, de Deus e do Diabo. O último conta como cada rei mago decidiu seguir a estrela.

30
Ago18

September reading club -TBR e TBS

Bárbara

39813775_1822135391235367_1627256442941603840_n.jp

 

Eu adoro as maratonas que a Cat organiza porque não são só de livros. Apesar do meu passatempo preferido ser a leitura, gosto de variar. Prefiro séries a filmes, até porque implicam menos tempo. 

Assim, escolhi como tema desta maratona terminar coisas. Adoro palavras pansemióticas ;)

 

Livros

1 - Terminar um livro físico - "Frankenstein" de Mary Shelley

2 - Terminar um audiobook - "O regresso do Rei" da trilogia "O Senhor dos Anéis" de J. R. R. Tolkien

3 - Terminar um ebook - "Crónicas do pássaro de corda" de Haruki Murakami

 

Séries

1 - Terminar uma temporada que estejas a ver sozinha - Lucifer 5 episódios 

2 - Terminar uma temporada que estejas a ver acompanhada - Lethal Wepon 3 episódios 

3 - Terminar uma temporada de uma série curta - Young and Hungry 5 episódios

 

Filmes

1 - Ver uma sequela - Mamma Mia! Here we go again

 

Obviamente que não vou cumprir estes desafios todos, mas sonhar não custa.

 

29
Ago18

Os mais belos contos de Grimm

Bárbara

E6B36BE4-E615-4C63-BDD4-97E3D387B09D.jpeg

 

Tenho estes livros desde pequenina e não me lembro de alguma vez os ler, embora conhecesse quase todas as histórias.

Gostei muito.

 

A forma como as histórias estão escritas é acessível a crianças e ótima para contar em voz alta.

Hoje em dia já não estamos habituados a histórias para crianças tão cruas em que se mata e se abandona. Doura-se mais a pílula, por assim dizer. Estas ainda são assim.

Muitas delas são machistas. A mulher é uma totó, sem poder de decisão que leva com o noivo que as circustâncias lhe impõem, mesmo que seja um príncipe encantado. Já sei que na altura em que foram escritas o mundo era assim.

Não adoro as ilustrações mas gosto. São clássicas.

 

23
Ago18

Leio 3 e compro 1 #8

Bárbara

B2829ECB-7969-425E-B18E-A74352DC5CF6.jpeg

 

Desde o post anterior, li:

1 - "Romance do grande gatão" de Lídia Jorge - 0€ pois foi emprestado. Opinião aqui 3,5*

2 - "O grande voo do pardal" de Lídia Jorge - 0€ pois foi emprestado. Opinião aqui 4,5*

3 - “Crime na Mesopotâmia” da série Poirot de Agatha Christie - 5,5€ comprado no OLX. Opinião aqui 4*

 


Comprei:
- “Adrian Mole na Crise da Adolescência" de Sue Townsend.
 -  4,5€ comprado no OLX.

 

Desde o início do projeto, saldo vendidos+lidos-comprados de 66,5€.

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D